Você tem medo de demitir?

Você tem medo de demitir

Há alguns dias atrás eu postei um reels no meu Instagram com o seguinte título: “Contratei a primeira manicure que apareceu e agora estou arrependida”

 

Na verdade, foi resposta à uma pergunta que fizeram em uma caixinha de perguntas que publiquei em um story dias atrás.

 

Me surpreendi com a quantidade de gestores que me mandaram mensagem no direct e no meu whatsapp dizendo que se sentem assim não só com as manicures, mas com vários profissionais.

 

E todos eles me pediram orientação exatamente sobre como agir nessas situações.

 

Bom, vamos lá então….

 

O primeiro passo é se preparar para que isso não aconteça mais!

 

Eu sei que a ansiedade em atender à demanda de clientes do seu negócio e a urgência que temos em fazer acontecer muitas vezes nos leva a agir sem pensar.

 

Contratamos o primeiro profissional que aparece na nossa frente…

 

Outro fator que complica ainda mais a história é que – nesse momento – está realmente difícil encontrar bons profissionais. Tenho algumas teorias para esse cenário, mas vão ficar para outro dia, outro texto.

 

Infelizmente é muito comum um gestor anunciar uma vaga, muita gente se interessar e até agendar a entrevista e – NEM APARECER! Isso mesmo, o gestor agenda 10 candidatos e com muita sorte, aparecem 2!!!!!

 

Se você está vivendo essa situação precisa parar e planejar o seu processo seletivo. Antes de anunciar a vaga, precisa definir a política de contratação de sua empresa.

 

Para evitar que os candidatos agendem e não apareçam, você precisa dar algumas informações antes, como a forma de contratação. Isso já afasta curiosos e te evita muita dor de cabeça.

 

Mas digamos que o pior já aconteceu e você contratou errado. É claro que você precisa de tempo para analisar isso bem. Observe o comportamento desse profissional e converse com ele sobre suas expectativas, dificuldades e necessidades.

 

Algumas vezes, com a orientação e o treinamento certo, você pode adequar o perfil do profissional e até transformá-lo em um profissional MEP – Motivado, Engajado e Produtivo.

 

Avaliar o desempenho constantemente é um passo importante nesse momento. Olhar a evolução desse profissional, a quantidade de clientes que ele atende a cada mês e o faturamento que ele produz pode ser um importante indicador.

 

Porém, utilizar as ferramentas adequadas para a avaliação te darão uma visão bem clara se esse profissional realmente está adequado para a estrutura de sua empresa e para a função que está desenvolvendo.

 

Durante mais de 11 anos eu tenho feito consultorias e mentorias em diversas empresas do mercado da beleza de diferentes tipos e portes. O tamanho da empresa e o modelo de negócio pode até mudar, mas a necessidade de uma gestão de pessoas estruturada não muda!

 

E durante toda essa experiência, eu tenho observado que em algumas situações onde o gestor tem esse olhar mais atento para cada profissional, faz uma avaliação do perfil e do desempenho, consegue realizar pequenas mudanças que trazem um resultado muito positivo.

 

Já passei por muitas situações onde o profissional não correspondia à expectativa dos gestores porque estava no lugar errado. Ele não tinha o perfil para aquela função. Após uma análise foi proposto para o profissional se preparar e assumir uma nova função.

Após a mudança, o resultado foi visível – em pouco tempo aquele profissional cresceu, evoluiu e atingiu o faturamento esperado.

 

Então, antes de demitir, avalie. Tenha a prática de realizar reuniões individuais com cada profissional de sua equipe e se aproxime deles. Você irá conquistar o respeito e ao se aproximar poderá diagnosticar o que está levando esse profissional a não alcançar todo o potencial esperado dele.

 

Bom, tentamos de tudo e não deu certo! É claro que em muitos casos não vai dar certo, não vai acontecer o crescimento desejado, o profissional não vai vestir a camisa, não vai se engajar e não vai produzir.

 

No mercado existem pessoas e profissionais de diversos tipos e níveis. Nós somos seres humanos diferentes e nunca iremos agradar a todos. Então sim, é natural que algum profissional não se adapte à sua empresa e precise ser demitido.

 

Para muitos gestores esse é um momento delicado. Eu sei que muitas vezes nos envolvemos emocionalmente e fica difícil esse desligamento.

 

Mas esse é o momento em que você tem que realmente ter uma atitude de gestor da empresa e ter em mente que você está à frente de uma empresa que tem regras que precisam ser cumpridas.

 

Você tem um planejamento, tem objetivos a alcançar e uma responsabilidade grande de fazer acontecer. Nesse momento você tem que ter a Inteligência Emocional para reconhecer e principalmente controlar suas emoções e agir pela razão.

 

Não estou dizendo que você será insensível e nem bruto. Mas que irá priorizar as necessidades de sua empresa e não as necessidades do seu profissional.

 

Eu sei muito bem as chantagens emocional que um profissional faz quando percebe que será desligado da empresa. Cuidado! Não caia nessas chantagens pois as consequências são desastrosas.

 

Antes porém do desligamento, você precisa se atentar ao contrato feito com esse profissional. Se a contratação for por CLT, você deve consultar a convenção coletiva para saber se existe algum prazo de carência quanto ao dissídio.

 

Se a contratação for pela Lei do Salão Parceiro, você precisa ler o contrato que vocês assinaram e entender se existe alguma cláusula que fale sobre prazo de rescisão do contrato. Em alguns casos você precisa comunicar com 30 dias de antecedência.

 

E claro, se preparar para esse momento. Eu sei que é difícil. Para algumas pessoas é mais difícil e para outras é menos. Vai depender muito do seu controle emocional, do seu nível de Inteligência Emocional.

 

Mas, se você acompanhou esse profissional durante o tempo de permanência dele em sua empresa, deu os feedbacks corretos no momento certo, fez com ele as avaliações de desempenho, fica mais fácil a conversa nesse momento, pois ele vai entender que não atendeu às expectativas da empresa.

 

Pense sempre nas consequências, nos pós e contras de manter esse profissional por mais tempo. Tome a decisão e atitude de gestor. O crescimento ou até a continuidade de sua empresa depende da sua postura.

 

E se você realmente não se sentir pronto para esse momento, saiba que é possível contratar um consultor para realizar essa transição. Um profissional qualificado saberá como conduzir o momento diminuindo os problemas e desgastes emocionais.

Profa. Ms. Giovana Quini
Mentora, Coach e Palestrante
Especialista em Gestão de Pessoas
Apaixonada pelo mundo da beleza

www.giovanaquini.com.br

Preço Justo

Nos acompanhe

Quer receber mais novidades ?

Preencha os campos abaixo e receba tudo em primeira mão.